Visões gerais sobre a pandemia de Covid-19 (Novo coronavirus) numa perspectiva magicko-estratégica e oracular

O uso de um oráculo deve ser sempre priorizado em momento em que a razão já é falha no meio em que se deve atuar. Na cabala temos o exemplo do Abismo de Daath ser correlacionado com a Razão que está ligada diretamente a subida (através do caminho do meio pela coluna da Sabedoria/Equilíbrio) de Tipheret que é o sacrifício da iluminação à Kether que é a sutileza pura e abstrata da divindade viva. Portanto, é importante que entre o processo de se sentir entusiasmado a tomar uma atitude eficaz e “divina” é importante analisar os fatos longe da razão que já se perdeu e analisar um pouco o que nosso inconsciente tem a dizer.
Decidindo agir, primeiro pergunte ao oráculo seus riscos, os pessoais, os oferecidos a terceiros próximos, aos terceiros distantes e à população do local da atuação de sua providência. Após mensurar minimamente estas condições vá estruturalmente de ponto a ponto, como neste caso, vamos da atuação psicológica individual, a psicológica coletiva, passando pela estrutural-social da base da pirâmide capitalista (sistema econômico do Brasil) e subindo até as camadas políticas, elitistas, baixo e alto clero até as empresas que são as “patroas” do Estado brasileiro (a consciência do Estado).

Sobre os riscos não farei leitura das cartas pois recomendo que sejam feitas por você mesmo, mas adiante farei leituras sobre as estruturas sociais da base da economia do país e sobre a política e a atuação e proliferação do vírus no tarot.

***Perguntas feitas ao tarot utilizando somente os 22 arcanos maiores (Tarot de Thoth – Aleister Crowley e Lady Frieda Harris)

  • Sobre a estrutura social da base da economia:

– Quais os efeitos da pandemia à população brasileira nos próximos 15 dias (levando em consideração o período proposto de quarentena pelo Ministério da Saúde do Brasil)?

II – A Sacerdotisa; XX – O Aeon; XIII – Morte

Independente dos véus que sejam levantados frente à nossos olhos, nada será capaz de limitar a luz refletida na lua, o tempo é sombrio e eu diria que até mesmo noturno, mas a noite somente guarda os medos dos que não estão dispostos a ouvir seus seres, a noite representa o momento de recuperação do corpo e da mente, de relaxamento e entrega de si a fragilidade física do sono, e de percepção da fragilidade humana, de entrega à essa fragilidade, não no intuito de desistir, mas de reconhecer as falhas para ponderar reforços. O tempo se renova e com essa pandemia o pensamento coletivo está sendo definido, o céu está aberto para ouvir os que falam com ele, mas os que falam somente entre si e para si estarão fadados a ficar para trás, pois a criança coroada está no trono, e desde então é dito que “os escravos servirão” (AL II, 58). A morte nos vigia dando a oportunidade de um fim ou de um recomeço, junto à criança-coroada deste novo tempo, assim vem a escolha, o livre arbítrio de fazer o que deve ser feito ou se opor a isso. É um momento de definição, o fim da polarização social está próximo, uns ficarão, outros se vão, o que é perpétuo nisto tudo? Você.

– Quais as maiores dificuldades desta camada social dentro deste período de 15 dias?

XIX – O Sol; XX – O Aeon; XVIII – A Lua

Tendo entre O Sol e A Lua o arcano O Aeon, fica escancarado que há um equilíbrio espiritual nesta camada em que é percebido que ali há um resguardo natural (da própria natureza), como quem diz que este problema não é desta camada e que apesar das situações anteriormente nefastas à condição humana, o vírus em si é um ato proposital para a histeria do velho aeon, o sol e a lua amparam o aeon dando a noção de ciclo, dito que dias e noites virão, mas tudo será como foi até que o pensamento do velho aeon pereça. As maiores dificuldades desta camada serão objetivamente aguentar os antigos do aeon passado se desencarnando para apagar os maus exemplos de suas luzes sobre a terra.

– Como deve ser feita a recuperação desta camada social?

XIV – Arte; XVIII – A Lua; XX – O Aeon

Dito que a única substância capaz de unir 2 separados é o amor (AGAPE), no laboratório da mente de cada um é necessário preparar sua bancada com seus instrumentos para a operação, Amor e Vontade serão a sutura e o curativo. É necessário que seja observada a fragilidade de si e do outro, reconhecendo isto seremos capazes de compreender que a luz não vem da lua, mas que ela é um espelho que direciona a luz sobre nós no momento em que o sol ilumina outros, ninguém foge da luz, pois quando menos se espera Khepri trás a barca solar com a luz da nova era, estejamos atentos para compreender que a luz virá, em tempo a luz virá.

  • Sobre a camada política da sociedade:

– O que esperar do Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel nos próximos 15 dias sobre o Covid-19?

IX – O Eremita; XX – O Aeon; V – O Hierofante

Distanciamento de tudo é o que acontecerá, uma sensação de ausência será percebida por todos e quem estiver desperto perceberá que o Eremita na verdade é o Hierofante, o iniciador que jamais foi iniciado, um farsante, que por trás de sua máscara de serenidade leva todos ao abate sob o argumento da benevolência sacrificadora e material.

– O que esperar do Governador de São Paulo, João Dória nos próximos 15 dias sobre o Covid-19?

XVII – A Estrela; XX – O Aeon; XII – O Homem Enforcado
Deixando fluir na direção de suas determinações, o governante está usufruindo do costume criado sobre suas decisões, não há novidade quanto à comportamentos, o sacrifício ja está anunciado e é dito que há algo por trás, um sacrifício “santo”, porém o benefício é pessoal e intransferível do governante, a população é somente o gado imolado.

– Qual o verdadeiro posicionamento da política nacional em relação ao combate à proliferação do Covid-19 e tratamento da saúde de quem depende do SUS dentro deste período de 15 dias.

VIII – O Ajustamento; IX – O Eremita; V – O Hierofante

Acredita-se que há um sistema muito bem gerido e organizado que trás conforto a quem o vê de cima e à distância e este movimento será mantido, pois seu trabalho é visto como o básico necessário, fazendo com que qualquer atitude coerente de quem tem “poder” seja algo passivo, pois muito é dito sobre resoluções, mas tudo faz parte de um teatro grego onde o coro e o corifeu utilizam as máscaras da tragédia para esconder seus sorrisos cômicos da plateia.

– O que a política nacional pensa sobre a proliferação do Covid-19 nas camadas mais baixas da sociedade (pensando na estrutura hierarquizada que se construiu neste país).

IV – O Imperador; 0 – O Tolo (O Louco); III – A Imperatriz

O impulso dos gestores sociais é acreditar que não se pode parar pois o trabalho que para se encerra, portanto todo movimento para se resguardar é manipulado em prol do trabalho, da continuidade frenética alimentada por uma “sabedoria” pseudo-divina (acredito ter conexão direta com a filosofia neo-pentecostal judaico-cristã que pauta a governança), observando sempre o povo como “ignorantes”, será necessário que o povo se cuide com o trato materno do próprio povo, pois está sendo priorizado o valor monetário daquilo que é sentimental, e no meio disto tudo, com toda nossa sabedoria, somos vistos como peões num tabuleiro de xadrez.

#covid19 #coronavirus #tarot

Caso queira conhecer mais sobre meu trabalho com o tarot, me envie um e-mail: ocaosdesempre@gmail.com

A Oficina de Criação de Sigilos Magickos e seu conteúdo

 


O Caminho do Mago é Solitário, mas não Sozinho

por Victor Vieira

O Mago dos tempos medievais estava sempre em sua caverna, sala secreta, topo de torre ou seja lá onde fosse, sempre afastado do convívio comum. Cá entre nós, uma atitude plausível quando se acredita em qualquer coisa que vá de contra quem pode cortar sua cabeça ou te atear fogo, nao e mesmo? Pois bem, hoje estamos no século XXI, e o equívoco sobre a forma de observar a tradição nos levou a transformarmos o que mais poderia nos unir, que e a internet em nossas cavernas que nos afastam de tudo, inclusive do sentimento legítimo de formação de comunidade. O caminho do mago e solitário porque toda experiência mística e individual, mas sem o “outro” não existe o “Eu”… A individualidade é formada a partir da observação do coletivo, e a comunidade se torna essencial, capaz de reforçar a necessidade de desenvolvimento pessoal a partir de comparações saudáveis, torna o pensamento magicko flexibilizado o suficiente para lidar com todo tipo de membro.
Cada homem e cada mulher é uma estrela, mas somos corpos sóis no corpo de Nuit, não podemos abandonar o senso de convivência, pois não há nada mais belo que a dança da órbita de duas estrelas que se aproximam e não se chocam, é a matemática perfeita da coexistência colaborativa na Obra de brilhar.
“Faze o que TU queres há de ser o Todo da Lei” depende de um sujeito te ofertando a boa nova, a Lei é para ser proclamada, e antes de conhecê-la, quem a apresentou a você?


Sobre o dia da Oficina de Criação de Sigilos Magickos

Faze o que Tu queres há de ser o Todo da Lei. O dia 15 de setembro de 2019 foi construído à muitas mãos, sigilizando, entrando em estado alterado de consciência, compartilhando experiências, ocupando espaço público e trazendo a sociedade o ato natural de fazer magia ao seu lugar de direito, que é O LUGAR QUE BEM ENTENDER. Amor é a Lei, Amor sob Vontade. O que fazemos não é resistência, o que fazemos é natural, resistir é ir de contra o funcionamento de Tudo o que é vivo e são “eles” que resistem. Cumprir a Lei não acompanha tensão, apenas o relaxamento de fazer o único ato possível para estar em completa concordância com o Eu.


CONTEÚDO DA OFICINA DE CRIAÇÃO DE SIGILOS MAGICKOS


O que é magia dentro da ótica da magia e esoterismo ocidental

  • Aleister Crowley

    “Magia é a Ciência e a Arte de Provocar Mudanças em Conformidade com a Vontade”

  • Israel Regardie

    “Magia é a ciência e a arte de usar estados de consciência alterada para provocar mudanças em conformidade com a vontade”

O que é Vontade?

– No “De Lege Libellum” (Liber CL), Crowley define a Verdadeira Vontade como a vontade que não se conforma com as coisas parciais e transitórias, mas… procedem firmemente para ao Fim”, e na mesma passagem ele identifica esse “Fim” como a destruição de si mesmo em Amor.

Amor esse chamado também de Agape, que em Thelema é geralmente usado para denotar o Amor que permeia e impele a criação, a única substância capaz de unir 2 separados.

  • Donald Tyson

    “A magia é a arte de afetar o manifesto através do imanifesto”

Sendo o manifesto tudo aquilo que pode ser visto, tocado, manipulado, imaginado ou compreendido. O não manifesto é nenhuma dessas coisas.

  • O que é magia para cada um aqui presente?
  • E como a gente seria capaz de definir o que ela é? (Parábola dos 3 cegos de nascença do Donald Tyson)

O que é o sigilo; a história da onipresença dos símbolos magickos até os tempos de hoje.

Um sigilo (pl. sigilia ou sigilos) é um signo criado para um propósito magicko específico. Um sigilo é geralmente composto por uma combinação complexa de traços ou figuras geométricas, cada uma com um significado ou intenção próprio.

O termo “sigilo” deriva do Latim sigillum, que significa “selo”, apesar de também estar relacionado a סגולה, do hebraico (segulah significando “palavra, ação ou item de efeito espiritual”). Um sigilo pode possuir uma forma abstrata, pictorial ou semi-abstrata.

Na antiguidade

De forma geral, os alfabetos utilizados atualmente derivam de símbolos, modificados através do tempo. Uma cabeça de búfalo, por exemplo, foi estilizada e modificada ao longo dos anos até se tornar a letra “A”. Os egípcios usavam os Hieróglifos, e no Japão a escrita Kanji ainda tem em seus traços grande similaridade com os elementos que busca representar.

Quanto à construção de desenhos a partir de mensagens e frases, a escrita árabe sempre permitiu esta prática. As palavras árabes são conectadas por uma linha contínua, um fio condutor que permite sua torção e disposição em arranjos elaborados. Sendo assim, nos adornos de templos e na heráldica era comum encontrar desenhos que codificavam frases ou nomes. As suras do Alcorão, por exemplo (com exceção da 9ª), iniciam por Bismillah, que forma um “fecho” e permite que a frase seja amarrada em torno de si mesma com fácil localização de seu início e fim. Além disso, nas práticas judaicas da Merkabah, a entrada nos níveis celestes era auxiliada pelos selos correspondentes, que deveriam ser desenhados pelo magista.

Na África subsaariana, os sigilos também eram extensamente utilizados, como por exemplo para codificar histórias, e para evocar energias ancestrais. A ideia de desenhar histórias e mensagens na areia, em tramas elaboradas, era muito utilizada pelo povo Tchokwe, da Angola (e chamada de desenho Sona). Já no campo magicko e espiritual, uma das práticas mais conhecidas de sigilização africana é o Traçado de Pemba, utilizado tanto para ancorar entidades no plano físico quanto para atrair suas qualidades ou codificar intenções e desejos (ver Pontos Riscados).

A sigilização é presente também na cultura Nórdica, com o uso de Bandrunar (união de runas) e Insigils (sigilos rúnicos). Estas práticas da Magia rúnica consistiam na elaboração de desenhos que eram usados como talismãs ou entalhados na madeira das casas, buscando proteção ou sorte em batalhas. O desenho mais conhecido deste tipo é o Ægishjálmr, ou Elmo do Terror, um símbolo rúnico representando o elmo de mesmo nome que é citado nas Eddas, usado para a proteção de casas e pessoas.

No Lemegeton

Nos livros Ars Theurgia e Ars Goetia, que fazem parte do Lemegeton (também chamado A Chave Menor de Salomão), são descritos os selos dos líderes espirituais, dos Daemons e dos Shemhamphorash. Já no Ars Paulina, são descritos os selos planetários, muitas vezes direcionados para uma intenção específica, e no Ars Almadel são apresentados os selos dos principais coros de anjos, bem como suas conjurações.

No Ars Notoria, são apresentados sigilos (chamados de Notas) que podem ser utilizados para as mais variadas finalidades, como acelerar o aprendizado ou obter conhecimento sobre uma área da ciência ou uma língua estrangeira. Os sigilos usados na Arte Notória eram construídos pelos magistas usando símbolos e elementos pertinentes àquela área do conhecimento. Por exemplo, o sigilo referente à gramática incluía os nomes de diferentes aspectos do discurso (morfologia, sintaxe, vocabulário, etc). Já o sigilo utilizado para aprender geometria contava com desenhos de linhas, triângulos, quadrados, pentagramas, estrelas de seis pontas e círculos.

As práticas Salomônicas, assim como as chinesas, consideravam que os portais de comunicação entre o mundo físico e o espiritual se abriam em lugares e horários específicos, por isso as direções cardeais e as horas planetárias sempre foram de vital importância na realização de qualquer intento magicko por estes sistemas.

Na Steganografia

Reconhecido como um livro de magia angelical e criptografia, este livro de Esteganografia foi escrito por volta de 1499 pelo monge beneditino Johannes Trithemius, e utilizado por Agrippa, John Dee e Austin Spare em seus trabalhos. A ideia geral do livro era a de codificar mensagens por meio de sigilos, e então enviá-las para pessoas distantes, por meio espiritual. As mensagens poderiam também ser enviadas a espíritos angelicais, que então iriam realizar os desejos ali descritos, funcionando por si só como um método de magia simpática (sistema magicko baseado na atração do que é desejado).

Na Steganographia, são descritos métodos de sigilização que permitem a representação pictórica de desejos e intenções. As mensagens, antes escritas em Inglês, Latim, Hebraico ou Enoquiano, poderiam ser descritas de forma mais exata e desambígua desta forma sigilizada, o que facilitaria sua transmissão e realização. O trabalho mental envolvido na elaboração do sigilo faria parte, segundo Trithemius, da prática mágica, e potencializaria seu efeito. Após o desenvolvimento do sigilo, este era enviado à entidade desejada, o que deveria ser feito na hora correta e voltando-se para a direção cardeal adequada.

Por Austin Osman Spare

Austin Osman Spare criou, por volta de 1910, técnicas de desenho e escrita automáticos, além de métodos de sigilização e um culto voltado à libertação do “verdadeiro eu” dos magistas, chamado Zos Kia. Em seu Livro do Prazer (Livro do Êxtase ou do Auto-Amor), Spare descreve como os sentimentos inconscientes podem estar ligados ao funcionamento da realidade externa, e como podem interferir na mesma, apresentando glifos para sua representação e práticas mágicas que incluem seu uso.

Nas descrições de sua prática com sigilos, Spare deixa claro que o envio de mensagens para serem atendidas por instâncias espirituais deve ocorrer de forma criptografada, uma vez que a linguagem humana não é suficiente para esta atividade. Além disso, Spare não utilizava horários, direções cardeais ou nomes de entidades, pois considerava que a realização dos intentos codificados nos sigilos ocorria por uma ou mais forças espirituais em consonância com o inconsciente do próprio magista.

Portanto, no momento da conjuração seriam selecionadas as energias corretas para levar a cabo cada objetivo, que então direcionariam o fluxo energético através do Éter. Este pensamento foi um dos que levou ao surgimento de novas vertentes de magia, baseadas em aspectos psicológicos e operadas pelo inconsciente do próprio magista. Isto aproximou ainda mais a magia da psicologia, e permitiu o uso magicko de ferramentas da psicanálise em conjunto com reinterpretações das evocações e invocações tradicionais.

Por Peter J.Carroll

Carroll apresenta três exemplos de métodos para a construção de sigilos. O primeiro método é baseado nas letras do alfabeto: escreve-se uma frase, eliminam-se as letras repetidas (e/ou as vogais), e combinam-se as letras restantes na forma de um desenho. O segundo método é pictórico: desenha-se a intenção desejada e simplifica-se o desenho em etapas, até a obtenção de um símbolo que não represente, à primeira vista, o que foi desenhado inicialmente. O terceiro método é mântrico: a partir da frase que codifica a intenção, eliminam-se algumas letras e cria-se um mantra que não descreva, em linguagem falada atual, o objetivo inicial.

  • Primeira prática de sigilos com base na escrita rabiscada – método pessoal (Victor Vieira)

A mente como ferramenta; dos princípios herméticos aos fundamentos da magia do caos.

Aqui faço junções entre os princípios herméticos e os conceitos do Liber Null que definem os passos para a libertação, na intenção de levar os oficineiros ao entendimento de que todos os símbolos estão à sua disposição para a construção não apenas de seus sigilos, mas também de entender que a sacralidade do símbolo mora na capacidade de ser manipulado e direcionado onde o operador o bem quiser.

  • As Sete Leis Herméticas (comentários com base n’O Caibalion adaptados a uma linguagem “não magistica” para tornar mais acessível e menos mística)

1 – O Princípio do MENTALISMO:  “O todo é Mente; o universo é mental.”

A primeira e mais importante lei hermética fala basicamente sobre o poder da mente. O universo em que vivemos e tudo o que cremos ser realidade é de natureza mental: a natureza, nossas ações, nossos corpos e todo o resto. Nós somos o que pensamos. Se pensamos coisas boas, coisas boas virão; se pensamos coisas ruins, elas ficarão mais próximas de nós em uma estrutura de forma-pensamento. O universo é um campo de energia mental em dimensões particulares.

2 – O Princípio da CORRESPONDÊNCIA: “O que está em cima é como o que está embaixo. O que está dentro é como o que está fora.”

Na segunda lei hermética, compreendemos que para tudo existe uma correspondência no universo, seja no microcosmo ou no macrocosmo. Usando a Bíblia como exemplo, este princípio está refletido na analogia de quando “Deus cria os homens à sua imagem e semelhança”. Sendo assim, para compreendermos tudo aquilo que nos cerca, temos que olhar para a sua correspondência e seu padrão em outros lugares.

3 – O Princípio da VIBRAÇÃO: “Nada está parado, tudo se move, tudo vibra.”

A terceira lei hermética é amplamente aceita pela ciência moderna e trata do movimento inerente ao universo. Tudo se move, pois tudo vibra. Tudo é composto de átomos em constante vibração. O movimento é o que leva a mudanças e as vibrações ocorrem em diferentes graus. Por meio das vibrações, podemos estar mais próximos do caos ou da harmonia, e isso pode ser controlado. Nas frequências mais altas estão aquilo que não é visto; nas frequências mais baixas estão as vibrações da matéria.

4 – O Princípio da POLARIDADE: “Tudo é duplo, tudo tem dois pólos, tudo tem o seu oposto. O igual e o desigual são a mesma coisa. Os extremos se tocam. Todas as verdades são meias-verdades. Todos os paradoxos podem ser reconciliáveis.”

Na quarta lei hermética, entendemos que vivemos em um mundo polarizado. Tudo tem uma dualidade: o quente e o frio, o claro e o escuro, esquerda e direita, bem e mal… Quando associamos o princípio da polaridade com o da vibração, porém, compreendemos que as dualidades são duas faces da mesma moeda – em graus diferentes. O escuro não é nada além da luz ausente; a saúde é ausência de doença. A dualidade é, também, a unidade.

5 – O Princípio do RITMO: “Tudo tem fluxo e refluxo, tudo tem suas marés, tudo sobe e desce, o ritmo é a compensação.”

Na quinta lei hermética, entendemos que vivemos em uma dinâmica de ciclos. Tudo o que vai, volta, e vivemos em uma vibração eterna de atração e repulsão, de inspiração e expiração. Assim como podemos estar por cima, certamente voltaremos para baixo, e isso vale tanto para movimentos físicos como o dos astros, frequências mentais e padrões de relacionamento. Por meio da Neutralização, é possível conquistar maior estabilidade dos ritmos.

6 – O Princípio de CAUSA E EFEITO: “Toda causa tem seu efeito, todo o efeito tem sua causa, existem muitos planos de causalidade, mas nada escapa à Lei.”

Na sexta lei hermética, compreendemos que as coincidências nada mais são do que acontecimentos nos quais as causas ainda não foram esclarecidas. Toda ação tem uma reação e nada é por acaso. Ao dominar os princípios desta lei, é possível ser o agente causador e não apenas sentir os efeitos, de modo que possamos propagar o bem. Quando tal mecanismo é dominado, nos tornamos mestres de nós mesmos.

7 – O Princípio de GÊNERO: “O Gênero está em tudo: tudo tem seus princípios Masculino e Feminino, o gênero manifesta-se em todos os planos da criação.”

No último princípio hermético, entendemos que o gênero não está apenas naquilo que se reproduz fisicamente, mas também está em planos mentais, naturais e espirituais. Toda criação deriva de uma força masculina e feminina. Tudo o que existe pode ter gênero: seres humanos, planetas, árvores. Sabendo e internalizando este fato, podemos viver em maior plenitude.

  • Libertação (trechos do Liber Null – Liber LUX)

Sacrilégio: Destruindo o Sagrado

“Liberta-se energia quando um indivíduo rompe com regras de condicionamento por meio de alguns atos gloriosos de desobediência e blasfemia(…)”

Heresia: Definições Alternativas

“Ao buscar ideias que pareçam bizarras, malucas, extremas, arbitrárias, contraditórias, e sem sentido, você descobrirá que as ideias que anteriormente lhe pareciam razoáveis, sensatas e humanitárias são, na realidade bizarras, malucas, etc., da mesma forma(…)Em discussões sempre discorde, especialmente se seu oponente começar a expressar suas próprias opiniões.”

Iconoclastia: Quebrando Imagens

“(…)Remexendo as roupas de baixo sujas da sociedade, descobrimos seus verdadeiros habitos.(…)”

Bioesteticismo: O Corpo

“(…)Transcendência, o impulso de se tornar um com algo maior, pode ser satisfeita de diversas formas, através do amor, trabalhos humanitários ou nas buscas artísticas, científicas e mágicas pela verdade.(…)”

Anatematização: Autodestruição

“(…)Portanto, reflita sobre a natureza transitória e contingente de todas as coisas. Examine tudo em que você acredita, todas as preferências e todas as opiniões, e corte-os fora.(…)”


O que é gnose para o xamanismo que nunca morreu, e seus vários estados alterados de consciência.

  • Estado alterado de consciência;

    Condição de pensamento não ordenado em que se põe a consciência superficial em desordem o suficiente para que o trabalho magicko seja acessado pelo subconsciente.

  • Debate sobre o que é gnose;

Métodos para gnose, indo além da famigerada masturbação.

  • Excitação sexual
  • Exaustão
  • Transe musical
  • Transe por movimento repetitivo
  • Uso de psicotrópicos (Quimiognose)

Escolhendo o melhor banimento para seu trabalho magicko, dentro da flexibilização de paradigmas.

O que é o banimento e como escolher e se apropriar do banimento para o trabalho magicko.

Não pense sobre banir, bana! Não é sobre a ferramenta mais elaborada, é sobre compreender que o banimento é um ato de separar as coisas, definir espaços geográficos e a propriedade das coisas que se manipulam, incluindo a propriedade do operador sobre ele mesmo, determinando autonomia e poder absoluto no momento da prática.


Ferramentas de construção estrutural, kameas (quadrados magickos), mantras, anagramas, desenho automático e transposição imagética.

ATIVIDADE PRÁTICA DE TRAÇAR CODIFICAR SIGILOS, ATIVÁ-LOS E CARREGÁ-LOS

  • Método dos Kameas

Um quadrado magicko (kamea em hebraico) consiste em uma série de números dispostos em um quadrado para que a soma de qualquer linha seja igual a um de qualquer coluna. Para a maioria dos quadrados magickos, a soma de qualquer uma das diagonais também equivale à soma de uma linha ou coluna. Os quadrados magickos foram estimados por suas propriedades magickas e matemáticas há milhares de anos na China, na Índia e no Oriente Médio.

Saturno 3×3
4-9-2
3-5-7
8-1-6
=15

Jupiter 4×4
4-14-15-1
9-7-6-12
5-11-10-8
16-2-3-13
=34

Marte 5×5
11-24-7-20-3
4-12-25-8-16
17-5-13-21-9
10-18-1-14-22
23-6-19-2-15
=65

Sol 6×6
6-32-3-34-35-1
7-11-27-28-8-30
19-14-16-15-23-24
18-20-22-21-17-13
25-29-10-9-26-12
36-5-33-4-2-31
=111

Vênus 7×7
22-47-16-41-10-35-4
5-23-48-17-42-11-29
30-6-24-49-18-36-12
13-31-7-25-43-19-37
38-14-32-1-26-44-20
21-39-8-33-2-27-45
46-15-40-9-34-3-28
=175

Mercúrio 8×8
8-58-59-5-4-62-63-1
49-15-14-52-53-11-10-56
41-23-22-44-45-19-18-48
32-34-35-29-28-38-39-25
40-26-27-37-36-30-31-33
17-47-46-20-21-43-42-24
9-55-54-12-13-51-50-16
64-2-3-61-60-6-7-57
=260

Lua 9×9
37-78-29-70-21-62-13-54-5
6-38-79-30-71-22-63-14-46
47-7-39-80-31-72-23-55-15
16-48-8-40-81-32-64-24-56
57-17-49-9-41-73-33-65-25
26-58-18-50-1-42-74-34-66
67-27-59-10-51-2-43-75-35
36-68-19-60-11-52-3-44-76
77-28-69-20-61-12-53-4-45
=369

Para saber mais, recomendo meu conteúdo sobre quadrados magickos planetários
https://ocaosdesempre.wordpress.com/2017/06/23/quadrados-magickos-sigilos-e-o-quadrado-magicko-de-eris/

  • Método da Roda da bruxa

    Witch's Sigil Wheel

  • Método Pictográfico

    Para criar um sigilo usando o método pictórico/pictográfico, você desenha uma imagem aproximada do que deseja e minimiza os elementos da imagem até chegar a um símbolo simples.


Ânsia de resultado e suas consequências; o equívoco do esquecimento do sigilo que não devemos esquecer.

A crença do ato magicko ser algo não natural e em conformidade com o ecossistema e plano de manifestação que se busca tem o poder de foder com tudo por não trazer a verdade da essencia que brota de dentro do operador que sabe que não há motivos para algo não acontecer. Não se questiona a eficácia de um ato magicko assim como não se questiona a queda de uma folha de arvore no outono, porque ambos estão em conformidade com o movimento da vida no planeta, é apenas “mais do mesmo” na vida da vida. 

  • MOMENTO PARA DEBATE

Implementação dos sigilos no cotidiano; colocando seu sigilo no currículo para aquele job funcionar ou na propaganda do seu negócio (hipersigilos).

  • DEBATE E PRÁTICA!

AGRADECIMENTOS

Agradeço em primeiro lugar à Mia Bueno, minha namorada, parceira e produtora, sem ela nada disso teria sido feito, ela botou fé em primeiro lugar em mim e no que eu sei, me ajudou a levantar a bunda da cadeira desde minha autoestima até a fazer conteúdos pra esse dia maravilhoso, se preocupou com estrutura, espaço, mensagem, conforto de todos e em me amar rs
Agradeço também aos oficineiros, que compareceram de diversas distancias reais para chegar ao local, todos sabem que o Rio de Janeiro é complicado de transporte pra quem não mora no “Pequeno Centro” e Zona Sul, e tinha gente às 6h da manhã já na rua pra não se atrasar, gente que veio da região oceânica de Niterói e gente da Baixada Fluminense. Foram 7h de oficina com praticas, diálogos e muita troca e todos permaneceram ATÉ O FIM, e alguns um pouco mais.
Agradeço aos amigos magistas do meu círculo mais próximo, Gabriel “Royal” Costa, do Xaoz e Vinicius Rosa do CALEN, que compareceram, trocaram conosco, dividiram de suas experiencias e fizeram mais encantadora a tarde do que imaginávamos.


SE VOCÊ AI TA INTERESSADO(A) EM CONHECER ESSA OFICINA DE PERTO OU GOSTARIA DE ME INDICAR OUTROS TEMAS, ME MANDA UM EMAIL, VAMO LEVAR ESSA OFICINA PRA TUA CIDADE, REUNIR OS AMIGOS E OCUPAR OS ESPAÇOS QUE TAMBÉM SÃO NOSSOS!

ocaosdesempre@gmail.com


Lembrando que faço atendimentos de tarot, tanto presenciais* quando online, via skype/whatsapp/telegram, e faço acompanhamentos mensais.
Faço instruções de magia e criações específicas de sigilos e servidores, entre em contato e fazemos um bom orçamento pra você, vamos conversar (:

ocaosdesempre@gmail.com

*PRESENCIAIS SOMENTE CENTRO DO RIO E ZONA SUL

ANÚNCIO: Oficina de Criação de Sigilos Magickos – 15 de setembro de 2019


Dia 15 de setembro de 2019 vou oferecer uma OFICINA DE CRIAÇÃO DE SIGILOS MAGICKOS, onde trabalharemos a teoria e a prática, incluindo a abordagem artística da criação e os métodos de Gnose, que são os estados alterados de consciência utilizados para ativa-los. Será aqui no Rio de Janeiro bem pertinho do metrô do Largo do Machado, super acessível, seguro e próximo a mercados e lanchonetes pra ninguém passar perrengue.
A contribuição será consciente e as demais informações como horário, carga horária e materiais necessários serão informados por email > ocaosdesempre@gmail.com < ou podem preencher o formulário abaixo me informando o interesse.


 

Regicida – Um Algoz pelo Povo

DOWNLOAD DO DOCUMENTO | DOWNLOAD DAS IMAGENS+DOCUMENTO


SEGUE ABAIXO O MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA O TRABALHO COM O REGICIDA


Muita coisa me fez chegar até aqui, muitas outras tentaram me parar, e se tivessem conseguido isso jamais teria sido escrito.
Alguns fatos atuais me fizeram desenvolver essa ferramenta magicka e aqui abaixo as listo:

  • Dia 06 de março de 2018 conheci a vereadora Marielle Franco em uma palestra, e dessa palestra saí convicto de que se uma pessoa como ela foi eleita, ela não apenas teria meu voto como apoio no que eu pudesse fazer. Eu estava eufórico com suas pautas, que defendiam diretamente o pobre que vive em condições das quais na maioria fez parte da minha vida quase que toda. Defendia a mulher, defendia o pobre, defendia o preto, defendia o favelado, defendia a educação, defendia a igualdade. IGUALDADE!
    Dia 14 de março de 2018 Marielle Franco é emboscada e assassinada com 3 tiros na cabeça e 1 tiro no pescoço.
    Como magista, que trabalha diretamente com manipulação de símbolos, é impossível não reconhecer o Hypersigilo que foi e é esta mulher!
    Defendeu o povo acima de tudo! Mães, Pais, Trabalhadores, Desempregados, Policiais… Ela combateu a opressão, o desequilíbrio!
  • A cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras (IPEA)
  • A cada 2 horas 1 mulher é assassinada no Brasil (IPEA)
  • No Brasil, 135 mulheres são estupradas por dia (IPEA/IBGE)
  • No ano de 2016 foram registrados 49.497 casos de estupro em território brasileiro (FBSP)
  • No ano de 2016 o Fórum Brasileiro de Segurança Pública computou o total de 61.283 mortes violentas intencionais em todo o Brasil
  • A cada 23 minutos um jovem negro é assassinado no Brasil (IPEA/IBGE)
  • Em 2017, 134 policiais foram assassinados no Rio de Janeiro
  • Nesse exato momento já passam de 34 o número de policiais mortos em 2018 e só estamos em abril
  • Em 2017 foram fechadas 231 (95.000 possibilidades de matrículas) escolas públicas só no estado do Rio de Janeiro,
  • Em 3 anos de operação Lava-a-Jato, 198 pessoas foram presas, 68 delas políticos.
  • O atual presidente NÃO ELEITO, Michel Temer (PMDB) é o primeiro presidente a responder por crime durante um mandato.

Eu poderia listar inúmeros motivos que me levaram a produzir este material, ao invés disso vou parar por aqui com a lista que não para de crescer e vou prosseguir com os trabalhos.

Função Coletiva do Servidor

Regicida é um servidor* que trabalha diretamente combatendo fluxos energéticos ligados à opressão sistemática sobre a parcela da população invisibilizada e coagida pelo Estado.

O Estado é uma egrégora e toda egrégora é como um corpo, só que feito de energia (psíquica, espiritual, emocional…), possui órgãos com funções variadas trabalhando em conjunto para a manutenção de sua própria vida. Quando “atacado” por algo externo, que não pertence ao seu próprio sistema, toma atitudes extremas, como a febre que pode ser traduzida pela truculência da polícia, ou como ínguas que podemos traduzir como burocracias demasiadas com a função de dificultar o andamento de procedimentos importantes para aqueles que a validade de opinião é desconsiderada, mas são válidos como força de trabalho.

Levando em consideração que aquilo que não tem fluxo energético fica “estéril”, o objetivo principal é servir como um torniquete que impossibilita a circulação de sangue (ENERGIA) em um membro no corpo do Estado resultando em NECROSE ENERGÉTICA e na única possibilidade de AMPUTAÇÃO do membro necrosado, extirpando membro após membro até que morra e de sua carcaça apodrecida a natureza utilize o que sobrou para dar vida ao novo. Um novo feito dos que se mantiveram vivos e resistentes: NÓS!

Palavra chave da função do Servidor (Tanto em coletivo quanto no individual): EQUIDADE

Equidade é o substantivo feminino com origem no latim aequitas, que significa igualdade, simetria, retidão, imparcialidade, conformidade.
Este conceito também revela o uso da imparcialidade para reconhecer o direito de cada um, usando a equivalência para se tornarem iguais. A equidade adapta a regra para um determinado caso específico, a fim de deixá-la mais justa.

  • Equidade no Direito (Texto auxiliar para compreensão do termo)

Equidade é uma forma justa da aplicação do Direito, porque é adaptada à regra, a uma situação existente, onde são observados os critérios de igualdade e de justiça. A equidade não somente interpreta a lei, como evita que a aplicação da lei possa, em alguns casos, prejudicar alguns indivíduos, já que toda a interpretação da justiça deve tender para o justo, para a medida do possível, suplementando a lei preenchendo os vazios encontrados na mesma.

O uso da equidade tem de ser disposta conforme o conteúdo expresso da norma, levando em conta a moral social vigente, o regime político do Estado e os princípios gerais do Direito. A equidade em síntese, completa o que a justiça não alcança, fazendo com que a aplicação das leis não se tornem muito rígidas onde poderia prejudicar alguns casos específicos onde a lei não alcança.

Abaixo listo a organização Estatal para que seja notada como plano de manifestação e suas subdivisões com o intuito de ser mais objetivo possível durante a prática mágicka.

  • Divisão do Sistema Estatal:
  1. Poder Executivo
  2. Poder Legislativo
  3. Poder Judiciário
  • Órgãos básicos do corpo estatal brasileiro (04/2018 – O Brasil altera sempre o número de pastas dentro de seu sistema):
  1. Ministério da Casa Civil da Presidência da República
  2. Ministério da Justiça
  3. Ministério da Defesa
  4. Ministério das Relações Exteriores
  5. Ministério da Fazenda
  6. Ministério do Transporte, Portos e Aviação Civil
  7. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
  8. Ministério do Desenvolvimento Social
  9. Ministério da Saúde
  10. Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços
  11. Ministério de Minas e Energia
  12. Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão
  13. Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações
  14. Ministério do Meio Ambiente
  15. Ministério do Esporte
  16. Ministério do Turismo
  17. Ministério da Integração Nacional
  18. Ministério das Cidades
  19. Ministério da Transparência e Controladoria Geral da União
  20. Ministério dos Direitos Humanos
  21. Secretaria Geral da Presidência da República
  22. Secretaria da Presidência da República
  23. Gabinete de Segurança Institucional
  24. Advocacia Geral da União
  25. Banco Central do Brasil
  26. Ministério Extraordinário da Segurança Pública
  27. Mídia Corporativa*

*Apesar de não reconhecida como órgão direto, possui relação direta com o Estado como fonte propagandista e panfletária.

  • Órgãos tidos pelo Estado como “Principais Tropas”:
  1. Dragões da Independência
  2. Escolta de Batedores
  3. Batalhão da Guarda Presidencial
  4. Bateria Histórica Caiena
  • Proporção de alcance do Estado:
  1. Governo Federal
  2. Governo Estadual
  3. Governo Municipal
  4. Governo Comunitário
  5. Governo Familiar
  • Subdivisão Eclesiástica Cristã do Estado:
  1. Igreja Católica de Rito Latino
  2. Igreja Católica Bizantina Albanesa
  3. Igreja Católica Ítalo-Albanesa
  4. Igreja Católica Bizantina Bielorrussa
  5. Igreja Católica Búlgara
  6. Igreja Católica Bizantina Eslovaca
  7. Igreja Católica Bizantina Georgiana
  8. Igreja Católica Bizantina Grega
  9. Igreja Católica Bizantina Húngara
  10. Igreja Greco-Católica Melquita
  11. Igreja Greco-Católica Romena unida com Roma
  12. Igreja Católica Bizantina Russa
  13. Igreja Católica Bizantina Rutena
  14. Igreja Católica Bizantina Sérvia
  15. Igreja Greco-Católica Ucraniana
  16. Igreja Maronita
  17. Igreja Católica Siro-Malancar
  18. Igreja Católica Síria
  19. Igreja Caldeia
  20. Igreja Católica Siro-Malabar
  21. Igreja Católica Arménia
  22. Igreja Católica Copta
  23. Igreja Católica Etíope
  24. Velha Igreja Católica
  25. Igreja Católica Apostólica Brasileira
  26. Denominações Protestantes*
  27. Denominações Neopentecostais*
  28. Núcleos Religiosos Dogmáticos Pró Manutenção da Ordem Vigente*

*A quantidade é variada e aparentemente crescente e constante, por isso inominável

  • Facções Criminosas no Brasil (04/2018 – No Brasil as facções se dividem e unem a todo momento, portanto a base de pesquisa é momentânea):
  1. PCC – Primeiro Comando da Capital (SP)
  2. CV – Comando Vermelho (RJ)
  3. FDN – Família do Norte (AM, RR, PA)
  4. TCC – Terceiro Comando da Capital (SP, RJ)
  5. CRBC – Comando Revolucionário Brasileiro da Criminalidade (SP)
  6. CDL – Comando Democrático da Liberdade (SP)
  7. Seita Satânica (SP)
  8. PCMS – Primeiro Comando do Mato Grosso do Sul (MS, ligada ao PCC)
  9. Manos (MS, RS)
  10. TC – Terceiro Comando (RJ, BA)
  11. ADA – Amigos dos Amigos (RJ, CE, ES)
  12. IDI – Inimigos dos inimigos (RJ)
  13. Amigos de Israel (RJ)
  14. Bonde dos 40 (AM, PI)
  15. 300 Espartanos (AM)
  16. Primeiro Comando da Mariola (RR)
  17. Equipe Rex (PA)
  18. Bonde dos 30 (PA)
  19. Comando Classe A (PA)
  20. GDA – Gangue da Ponte (AP)
  21. Primeiro Comando do Maranhão (MA)
  22. Bondinho da Ilha (MA)
  23. Primeiro Grupo do Estreito (MA)
  24. B40 – Bando dos 40 (MA)
  25. ADM – Anjos da Morte (MA)
  26. COM – Comando Organizado do Maranhão (MA)
  27. Bonde dos 300 (MA)
  28. PCM – Primeiro Comando de Campo Maior (PI)
  29. PCE – Primeiro Comando de Esperantina (PI)
  30. Facção Criminosa de Teresina (PI)
  31. Guardiões do Estado (CE)
  32. PCN – Primeiro Comando de Natal (RN)
  33. SDC – Sindicato do Crime (RN, PB)
  34. Al-Qaeda (PB)
  35. Estados Unidos (PB)
  36. Comando Norte/Nordeste (PE)
  37. Firma (AL)
  38. PCM – Primeiro Comando Metropolitano (SE)
  39. Comando da Paz (SE, BA)
  40. Bonde do Maluco (BA)
  41. DPM (BA)
  42. MPA (BA)
  43. Bonde do Ajeita (BA)
  44. Katiara (BA)
  45. Comando da Perna (BA)
  46. Caveira (BA)
  47. Comando Mineiro de Organizações Criminosas (MG)
  48. PJL – Paz, Justiça e Liberdade (MG)
  49. Primeiro Comando Mineiro (MG)
  50. Primeiro Comando das Minas Gerais (MG)
  51. Milícias / “Liga da Justiça” ainda está em atividade e não necessariamente ligada diretamente apenas à corpos militares, por questões de perda de território, hoje integram o tráfico de drogas e aliaram-se à algumas facções criminosas (RJ)
  52. Povo de Israel (RJ)
  53. Primeiro Comando de Vitória (ES)
  54. CJVC – Comando Jovem Vermelho da Criminalidade (SP)
  55. Gaviões da Fiel / Não ligada diretamente à escola de samba ou à torcida organizada de São Paulo (SP)
  56. Cerol Fino (SP)
  57. Comissão Democrática da Liberdade (SP)
  58. PGC – Primeiro Grupo Catarinense (SC)
  59. PCRV – Primeiro Crime Revolucionário Catarinense (SC)
  60. CL – Comando Leal (SC)
  61. Serpente Negra (SC)
  62. PL- País Livre (SC)
  63. PGO – Primeiro Grupo de Oposição (SC)
  64. FRC (Força Revolucionária Catarinense)
  65. Bala na Cara (RS)
  66. Os Tauras (RS)
  67. V7 (RS)
  68. Os Abertos (RS)
  69. Unidos Pela Paz (RS)
  70. CPC – Comando Pelo Certo (RS)
  71. Amigos Leais (RS)
  72. Primeiro Comando do Paraná (PR)
  73. Primeiro Comando da Liberdade (MS)
  74. Grupo G (MS)
  75. PLD – Paz, Liberdade e Direito (DF)
  76. Bad Boys (MT)
  77. Baixada Cuiabana (MT)
  78. Comando Verde (MT)
  79. Amigos Leais (RO)
  80. Crime Popular (RO)
  81. Bonde dos 13 (AC)
  82. GDE – Guardiões do Estado (CE)
  • Partidos (Facções) Políticos (04/2018 – No Brasil as facções se dividem e unem (coligações) a todo momento, portanto a base de pesquisa é momentânea):
  1. PMDB – Partido do Movimento Democrático Brasileiro
  2. PTB – Partido Trabalhista Brasileiro
  3. PDT – Partido Democrático Trabalhista
  4. PT – Partido dos Trabalhadores
  5. DEM – Democratas
  6. PCdoB – Partido Comunista do Brasil
  7. PSB – Partido Socialista Brasileiro
  8. PSDB – Partido da Social Democracia Brasileira
  9. PTC – Partido Trabalhista Cristão
  10. PSC – Partido Social Cristão
  11. PMN – Partido da Mobilização Nacional
  12. PRP – Partido Republicano Progressista
  13. PPS – Partido Popular Socialista
  14. PV – Partido Verde
  15. Avante
  16. PP – Partido Progressista
  17. PSTU – Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado
  18. PCB – Partido Comunista Brasileiro
  19. PRTB – Partido Renovador Trabalhista Brasileiro
  20. PHS – Partido Humanista da Solidariedade
  21. PSDC – Partido Social Democrata Cristão
  22. PCO – Partido da Causa Operária
  23. PODE – Podemos
  24. PSL – Partido Social Liberal
  25. PRB – Partido Republicano Brasileiro
  26. PSOL – Partido Socialismo e Liberdade
  27. PR – Partido da República
  28. PSD – Partido Social Democrático
  29. PPL – Partido Pátria Livre
  30. PEN – Partido Ecológico Nacional
  31. PROS – Partido Republicano da Ordem Social
  32. SD – Solidariedade
  33. NOVO – Partido Novo
  34. REDE – Rede Sustentabilidade
  35. PMB – Partido da Mulher Brasileira
  • Organizações armadas básicas da segurança do Estado:
  1. Exército Brasileiro
  2. Força Aérea Brasileira
  3. Marinha do Brasil
  4. Polícia Federal do Brasil
  5. Polícia Rodoviária Federal
  6. Polícia Ferroviária Federal
  7. Guarda Portuária
  8. Polícia Militar
  9. Polícia Civil
  10. Força Nacional de Segurança Pública
  11. Polícia Científica
  12. Polícia das Forças Armadas
  13. Polícia Legislativa Federal
  14. Guarda Municipal

Função Individual do Servidor

Individualmente o trabalho do Regicida é combater a opressão direta do sistema que está em contato direto com o operador no âmbito microcósmico de sua bolha social. Hierarquias verticais, condições extremas e degradantes de trabalho, abuso psicológico e físico, segregações e intolerâncias que vão contra todas as regras básicas sociais para a manutenção não apenas da vida como da integridade do ser serão severamente combatidas pelo Regicida.

Manipulação do sigilo e da iconografia básica

Regicida em sí é um portal para manifestação das energias combativas e sua manipulação e manifestação possui apenas elementos básicos para unificar a egrégora e tornar o processo de ativação padronizado com o fim de fortalecer a egrégora.

Elementos básicos para a utilização da ferramenta

  • Sigilo e Iconografia

Iconografia Regicida (Servidor Magicko)Iconografia do Regicida

 

Sigilo Regicida (Servidor Magicko)Sigilo do Regicida

Se Deus der rolê com cartão magnético
Nem com marca de nascença reconhece no exame médico
Pro boy a causa é o código fora de época
O cuzão quer pena de morte, prisão perpétua
Acha que com menor cumprindo como adulto
Não vai ter na CNN político do Brasil com furo
Aposta na repressão, na polícia hostil
Um gambé me torturando num terreno baldio
Enquanto era pobre desfigurado no caixão preto
Vale o ditado: no cú dos outros é refresco
Só que o vulcão explodiu, entrou em erupção
E a lava que escorreu foi derreter sua mansão

Acordou pra vida com cem bolhas no corpo
Com ladrão apagando na pele dois maços de Marlboro
O ódio atravessou a fronteira da favela
Pra decretar que paz é só embaixo da terra
Não sou eu que a impunidade beneficia
Me diz quantos Nicolau tão na delegacia
Quer o fim do barulho de tiro a noite
Faz abaixo-assinado contra taurus colt
A fábrica de armas tá a mil na produção
Contrabandeando pro Rio, SP, Afeganistão
E a cada bala no defunto, um boy sai no lucro
Na guerra o mais inocente é o favelado de fuzil russo

Hoje deus anda de blindado, cercado e protegido por dez anjos armados
Hoje deus anda de blindado, cercado e protegido por dez anjos armados
A pomba branca tem dois tiros no peito, dois tiros no peito
A pomba branca tem dois tiros no peito, dois tiros no peito

Raciocina a arma tá no navio do porto
A cocaína no táxi aéreo chegando no aeroporto
Tem erro na pintura da imagem do inimigo
Perigo não põe camisa na cara no distrito
É o que tem estilista e usa seda
Tem curso superior pra matar criança indefesa
No outdoor publicitário deixou falha
Não viu ladrão de terno com a glock engatilhada
Sequestrador a mídia cobra, um mês, ta morto
Diferente de quem rouba com a caneta de ouro
Se por milagre preso fica emocionalmente abalado
E é receitada prisão domiciliar pra arrombado

O ladrão de seis galinhas tá no presídio
O banqueiro tá livre por que tem endereço fixo
Sonha que o congresso vai aprovar lei mais severa
É o mesmo que o deputado atirar na própria testa
Com a justiça reformulada não sou eu que estou fudido
É a madame que vai levar jogo pro marido
O que me faz roubar não é pena branda
É ver a lata de arroz sem um grama
Eu sou só a consequência que te dá fita amarela
Efeito do prefeito com dólar em Genebra
O sangue do morro é o combustível do jato
Na seguradora até o manto sagrado

Hoje deus anda de blindado, cercado e protegido por dez anjos armados
Hoje deus anda de blindado, cercado e protegido por dez anjos armados
A pomba branca tem dois tiros no peito, dois tiros no peito
A pomba branca tem dois tiros no peito, dois tiros no peito

Felicidade não é comer com talher de ouro
Enquanto meu filho brinca no esgoto
Dinheiro é só papel, não vai pra sepultura
No fim é só herdeiro brigando por suas indústrias
Pra cinco mil Jesus dividiu cinco pães e dois peixes
Atitude igual evita miolo no tapete
A indiferença que não te deixa pôr a mão no bolso
É a mesma do louco que corta seu rosto
Eterna vítima de joelhos, refém do medo
Sua pomba branca tem dois tiros no peito

Por que prefere gastar no abrigo antinuclear
No bunker, goma blindada, seu novo lar
Enriquecer a indústria da segurança privada
Comprar colete a prova de balas do que doar cesta básica.
A pior polícia do mundo não vai te ajudar
Pra um caso resolver catorze da Scotland Yard
Não vejo um puto lutando pra favela ter escola
Só pra me trancar e jogar a chave fora.
A burguesa tem vergonha de ser brasileira.
Não pelo o pivete com fome mas porque me deu a senha
Pega o passaporte, enfia no rabo e some
Vai cortar grama no Texas, ser puta em Londres
Invés de mudar a lei faz um transplante de coração
Compra um na funerária com um pouco de compaixão.

Hoje deus anda de blindado, cercado e protegido por 10 anjos armados
Hoje deus anda de blindado, cercado e protegido por 10 anjos armados
A pomba branca tem dois tiros no peito, dois tiros no peito
A pomba branca tem dois tiros no peito, dois tiros no peito

Hoje deus anda de blindado, cercado e protegido por 10 anjos armados
Hoje deus anda de blindado, cercado e protegido por 10 anjos armados
A pomba branca tem dois tiros no peito, dois tiros no peito
A pomba branca tem dois tiros no peito, dois tiros no peito.

  • Mantra

CADUNT REX
CADUNT MALUS INGENIUM
SUCESSEMPRI OBICITUR A POPULO (5x)

  • Alimentação

Energia do próprio alvo, conforme vai sendo contida e obstruída.

  • Ritualística

É importante lembrar que esta é uma ferramenta que se manifesta diretamente no plano físico e em suas subdivisões, portanto, toda forma de ativação desejada parte de uma estrutura básica de dentro da magia do caos.

Sigilo como Elemento Conectivo (e elementos correlatos à egrégora) + Método de Gnose + Processo de Manipulação Energética

A partir disso também é interessante as manifestações em torno da egrégora manifestas em ritos públicos, coletivos ou individuais que possam impactar as transeuntes.

Recomenda-se quando em público estar com pelo menos 1 pessoa de fora do rito filmando a atividade para resguardo jurídico e manutenção da segurança orgânica dos operadores ou do operador.

  • Indicação mínima para ritualística
  1. Desenhe o sigilo do Regicida sobre a foto do espaço físico que estará sob influência de sua energia, pode ser a foto de uma pessoa também, ou até mesmo o nome escrito do lugar, órgão ou pessoa. Caso prefira, desenvolve um sigilo para o alvo (aproveite-se de todos os mecanismos mentais ao seu dispôr) o faça e sobre ele o sigilo da ferramenta;
  2. Mentalmente molde o alvo para uma forma corpórea humanóide com uma coroa em sua cabeça;
  3. Visualize o Regicida se aproximando do alvo e comprimindo sua massa, esmagando sua superfície, note as veias do alvo inchando, note as manchas de sangue em seus olhos, a roxidão da pele, a textura mudando, os coágulos se apresentando e seu tecido escurecendo até a que a coroa de sua cabeça caia! (ESTE É O SINAL DA INSTITUIÇÃO DO REGICIDA SOBRE O ALVO)
  4. Quando notar a pele quase acinzentada e os movimentos do corpo do alvo limitados, dê a ordem para que o Regicida se alimente daquele corpo e apenas o abandone quando não houver mais vida em seu interior.
  5. DIGA EM VOZ ALTA: “Quando não há coroa não há Regicida”*

*Isso determina que ao fim de todas as operações, obtendo sucesso, o Regicida migra para os alvos que possuem proximidade comportamental como uma célula cancerígena até que não haja o que fazer dentro de sua função e ele extingue-se.

*A utilização do símbolo da coroa, representa uma monarquia, que foi um sistema de governo que somente beneficiava os ricos e se valia da mão de obra do povo e de suas vidas para se sustentar, tornava o pobre sempre mais pobre, o rico sempre mais rico.

Nota posterior

Recomenda-se para a segurança de um grupo ou para a segurança de um operador, a utilização conjunta do arquétipo planetário de Urano, que é bem-vindo em operações necessitadas de segredo, camuflagem e coletividade escusa.

(Torno a dizer) Recomenda-se quando em público estar com pelo menos 1 pessoa de fora do rito filmando a atividade para resguardo jurídico e manutenção da segurança orgânica dos operadores ou do operador.

Victor Vieira
Abril de 2018, Rio de Janeiro, Brasil


O Caos de Sempre pela internet:

FANPAGE: http://facebook.com/ocaosdesempre
GRUPO NO FACEBOOK: http://facebook.com/groups/ocaosdesempre
CONTATO: ocaosdesempre@gmail.com

Victor Vieira pela internet:

INSTAGRAM: http://instagram.com/unholyvictor
TWITTER: http://twitter.com/unholyvictor
PORTIFÓLIO: http://behance.net/arteabismal

Vortex Caoscast (Podcast com viés discordiano sobre magia do caos, mas não apenas rs): http://vortexcaoscast.coletivando.org

Polarização da Magia do Caos

Com base em muitas discussões que acompanhei pela internet sobre a utilização da magia do caos obrigatoriamente direcionada tanto para a esquerda como para a direita (trazendo inclusive a relação esquisita da AltRight nos estados unidos com o assunto) resolvi trazer pra vocês um vídeo que lancei no meu canal pondo na discurso alguns autores já conhecidos da Magia do Caos
Nesse vídeo eu trago um ponto de vista que expõe a magia do caos como uma ferramenta neutra que não pode ser definida só pela vontade do operador, já que a magia do caos é algo que não depende do magista para ser o que é, seu efeito sim, mas o que ela é não rs

Comentários sobre Khaos Magick & Urban Shamanism [Texto da DKMU] | Download do texto traduzido PT-BR

Khaos Magick & Xamanismo Urbano

Essa é uma sequencia de comentários que anotei enquanto estudava esse pequeno material de 18 páginas encontrado no portal da DKMU e disponível em inglês no formato pdf, foi escrito como um compilado de textos do Frater Sheosyrath (-∞°, 5°) com contribuições do Frater Alysyrose (-11 °, 5 °) e seu nome é Khaos Magick & Urban Shamanism (Khaos Magick & Xamanismo Urbano).

Mas antes de começarmos à falar sobre o material, preciso apresentar à vocês esse esplêndido grupo de magistas, e a melhor definição que encontrei sobre eles foi disposto pelo KiaMagic, segue texto à seguir (Tradução livre feita por mim):

“A DKMU consiste em dois títulos em um, respectivamente. A DKMU é mais conhecida por representar a união dos dois grupos ocultos, Domus Kaotica & Marauder Underground. A DKMU é um grupo autodenominado composto por membros de várias escolas de pensamento, com conhecimentos ocultos, psicodélicos, artísticos, revolucionários, científicos, ativistas e filosóficos.
O logotipo original consiste em um crânio humano sorridente com asas de cada lado, contendo Nada (zero = 0) no olho esquerdo, e Tudo (infinito = ∞) à direita. Uma cobra é vista saindo do interior do crânio ou da área do cérebro. Este simbolismo no todo poderia assumir uma variedade de significados. Os dois ícones DK & MU geralmente são vistos em conjunto com o crânio, Ellis (The Linking Sigil) à esquerda e o Atomosphere (Nada infinito da estrela do caos e Todo finito [o átomo]) à direita (Imagem à seguir).

00_DKMU_logo01

“A DKMU é uma coletiva autônoma internacional, mas mais apropriadamente, uma união de artistas (filósofo, criador, mago, etc.) com raízes em estudo oculto. O tipo de movimento criativo que a DKMU pratica na escrita, música e artes visuais é aquele que sem dúvida tem raízes no dadaísmo, e utiliza o absurdo, a bagunça e a complexidade, o minimalismo, a aleatoriedade, a erudição (inteligência) e o inculto (loucura) , humor discordiano, ou simplesmente a antítese do esperado dado as circunstâncias da criação (como em, se alguém esperasse desordem, o resultado seria a ordem para o efeito de quebrar a expectativa. Da mesma forma, se esta “regra” de oposição puder ser antecipada, também seria quebrada – o resultado final é uma mudança criativa contínua por parte do artista e seu trabalho.), e também faz uso freqüente do iconoclasmo em todas as formas, embora nem todos os membros adiram a essas filosofias e são conhecidos por seguir suas próprias musas. Em termos de estudo e prática de magia, esse estilo de pensamento abstrato também é usado. Para o membro da DKMU, a própria psique é tratada como uma obra de arte em andamento, e as realidades estranhas são muitas vezes procuradas e consideradas superiores às mundanas (concedendo que sejam benéficas de alguma forma), simplesmente porque elas são mais interessantes para viver “. modo intenso de existência “.

Comentários sobre Khaos Magick & Urban Shamanism:

  • O Dom da Consciência > Sessão I (Subsessão I-A e I-B) > Sessão II (Subsessão II-A e II-B)

A primeira parte do livro é escrita pelo Frater Sheosyrath (-∞°, 5°) e é chamado de “Dom da Consciência” , e é bom deixar claro que daqui por diante ele deixa muitos “rastros” no estudo dele, utilizando palavras que no levam à um conhecimento mais objetivo para a pratica que é proposta neste mesmo material.

Frater Sheosyrath começa nos introduzindo no ambiente ao qual serão operados procedimentos, dividindo este momento em 2, a Sessão I e II. 

Na Sessão I, subsessão A, é dito que o Cosmos é infinito e múltiplo, que todo verso do Cosmos é unido por uma Consciência Consciente e Universal, e aqui fico me perguntando se ele se refere à exatamente cada verso, dizendo que cada verso possui uma Consciência Consciente Universal dotada de energia ou se ele se refere à uma unica Consciência Consciente Universal dotada da energia que une todos os versos, visto que ele fala de Multi-verso mas quando se refere à essa Consciência, ele utiliza o elemento prefixal UNI.
Também é dito para tocar no circuito subconsciente para iniciar a comunicação com a Consciência Consciente Universal, o que me parece um convite para acessar o Quinto Circuito de Consciência, o Circuito Neurossomático/Hedônico retratado pelo Timothy Leary e muito bem desenvolvido no livro Prometheus Rising do escritor Robert Anton Wilson.

Na subsessão B, Frater Sheosyrath explica um pouco sobre os véus de existência contidos no sistema da Kabbalah, mas na hora de atribuir definições, se atém apenas à Ain Soph, o véu que há entre Ain e Ain Soph Aur. Me voltei para o inicio novamente e fiquei pensando se quando ele fala sobre os véus e expressão do Cosmos se na verdade o autor se refere à aquelas imagens tridimensionais em que uma Kabbalah se une há outra.

Não exatamente como na imagem, mas essa imagem é um ótimo pseudo-exemplo, por favor, não escrevo para PhD’s mas escrevo para pessoas com boa capacidade interpretativa, né? rs

Na Sessão II o Frater Sheosyrath fala sobre a subconsciência, que quando evoluída, alcança-se um estado de consciência microcósmica que se linka (de link) à Consciência Consciente Universal, sendo a mente do operador uma reflexo oposto e equivalente da Consciência Consciente Universal.
O autor diz que a evolução da consciência humana deve ser encorajada para que através de um conjunto de níveis microcósmicos (no caso de cada ser humano), a consciência macrocósmica seja também evoluída.

  • Contemple a Raiz > Auto-Destruição e Re-Criação

O autor começa nos explicando a qual emanação do Khaos estamos nos referindo, ele traz a palavra Khaos, como algo proveniente dos gregos, algo amorfo e de onde todas as emanações surgiram, referindo-se inclusive como “agua primordial”, o que me fez lembrar de Tianmat, a soberana consorte de Apsu na mitologia Babilônica (Recomendo a leitura do livro Enuma Elish que narra a criação de “tudo” pelo prisma babilônico) e não posso também deixar de dizer que também lembra muito a forma como é vista o Ginnungagap dentro de uma capacidade tão abstrata e explosiva que é tanto -∝ = 0 = ∝ (nem tudo aqui é “de graça” rs) se bem me entendem.
É interessante se atentar que Frater Sheosyrath usa o termo “Ovo Preto” para falar sobre o Khaos, quando o “Ovo Preto” é o Tattva que representa dos cinco elementos o Akasha, cuja citação abaixo deixada por Franz Bardon ilustra bem seu potencial (Mas na minha opinião faltam adjetivos e atribuições à essa força):

“Na descrição dos elementos, eu mencionei que estes surgiram a partir do princípio etérico. Por causa disso ele é o mais elevado de todos, o mais poderoso a inimaginável; ele é a origem, o fundamento de todas as coisas a de toda a criação. Em resumo, ele é a esfera primordial. É por isso que o Akasha é isento de espaço e de tempo. Ele é o não criado, o incompreensível, o indefinível. As religiões chamam-no de Deus. Ele é a quinta força, a força primordial; ele é aquilo que contém tudo o que foi criado a que mantém tudo em
equilíbrio. É a origem e a pureza de todos os pensamentos e idéias, é o mundo das coisas primordiais no qual se mantém tudo o que foi criado, desde as esferas mais elevadas até as mais baixas. É a quintessência dos alquimistas. É tudo em todas as coisas.”
Franz Bardon – Magia Prática: O Caminho do Adepto

A próxima parte, Frater Sheosyrath começa dizendo:

Quando você nasce, você é criado por sua percepção das pessoas ao seu redor.
Uma criança não tem sentido de si mesma, nem consciência de ser. Outros criam você.
O ambiente, as pessoas ao seu redor, o que as pessoas pensam de você, essas coisas
alimentam seu cérebro desde o momento em que você sai. Você não acha que seria em
seu benefício destruir tudo isso e reconstruir?

Além disso, o autor nos trás também uma pequena fórmula “quase” matemática, para explicar como é o funcionamento lógico de um procedimento magicko, onde ele diz que:

*Intenção + Ação(s) = Reação(s)

Essa formula nos mostra um funcionamento diferenciado, onde muitos sempre expõe um funcionamento em que mostra que fundamental é a intenção, quando na verdade a formula acima retratada diz que mais importante a reação que a ação em si, por a intenção através da ação. Frater Alysyrose ainda reforça dizendo que através dessa fórmula “toda magia é a mesma, projetada através de diferentes máscaras“.

*Sobre a formula, é deixado esse comentário ao final da página:

A fórmula magicka também é muito simples e pode ser aplicada
em todas as escolas imaginárias imagináveis. Intenção + Ação = Reação. O que mais existe para isso? Nada realmente. Intenção e ação, para cada ação, há uma reação igual, porém oposta. Então, boa magia está apenas recebendo a reação que você quer de sua intenção e ações. O que significa, crianças, lembrem-se, a reação é a parte importante. Não é a intenção. Quem se preocupa com sua intenção, desde que sua reação seja aquela que você está procurando.

  • O Caminho de Menor Resistência

É sabido que para vermos a luz, é preciso nos voltar para a direção em que ela aponta, e não para sua origem, por de certo a luz nos ofuscaria. Com isso, é proposto neste texto um “Caminho de Menor Resistência”, uma forma de proceder perante o sistema vigente e adoecido que existe no nosso momento, que se entende a conexão holística e que neste plano de manifestação estão todas as ferramentas necessárias para atos cuja intenção sobreposta resulta na manifestação da vontade do operador.

É através do “Caminho de Menor Resistência” que o adepto obtém seus resultados, ele compreende que palavras desencadearão certos atos, e alguns atos irão desencadear certos
estados. Alguns estados desencadearão certos pensamentos e esses pensamentos levarão novamente o adepto à ações renovadas, conscientes, e que assim como no começo deste estudo, o autor fala de uma Consciência Consciente Universal num nível microcósmico, o conjunto de pessoas com ações conscientes trarão em conjunto um comportamento verdadeiramente Universal e Consciente.

ANOTAÇÃO SOBRE A ATOMOSPHERE (É um nome próprio, respeitemos a ortografia original)

atomosphere
Atomosphere

A Atomosphere é uma representação do primeiro conceito do KHAOS. Nada infinito (a estrela do caos) dá origem a tudo finito (o átomo). Pode ser usado como um dispositivo de gravação, uma ferramenta de comunicação entre membros e / ou janela no multiverso. O conhecimento oculto pode ser alcançado olhando fixamente nele durante horas a fio através da meditação, e nós encorajamos cada membro a fazer um dos seus próprios sob a forma de uma esteta pintada para ser colocada na vanguarda do espaço ritual.

  • No Pós-Meta-Paradigma

Aqui o Frater Sheosyrath apresenta algo anteriormente mencionado como Intenção + Ação(s) = Reação(s) que resume toda magia cerimonial, se extendendo até a Sigil Magick, representada pela sentença à seguir, Intento + Processo do Sigilo = Resultado.

O Pós-Meta-Paradigma se vale da máxima da Magia do Caos de “Nada é Verdadeiro, Tudo é permitido” e a extrapola para além disso e afirma que “TUDO É VERDADEIRO” e apenas, por na raiz de toda operação, a fórmula anteriormente proposta se reproduz sempre, lembrando que intenções nos levam à ações que geram sempre reações.

Posteriormente o autor trás um conjunto de pequenos textos muito sucintos e auto-explicativos que achei melhor não comentar pois talvez estragaria a graça de lê-los.
Atente-se à parte que fala de Servidores Programados Dinamicamente (DPS), são muito importantes.

  • O Doombringer

Nesta parte Frater Sheosyrath nos conta sobre uma Godform que é um portal para manifestação e direcionamento das energias vindas diretamente do Khaos, no seu sentido mais direto abordado pela linha de pensamento anteriormente proposta. Aqui eu deixo meu silêncio pois a pratica aqui proposta fala muito mais que qualquer comentário que eu poderia deixar aqui. Aproveitem.

DOWNLOAD DO MATERIAL TRADUZIDO (Khaos Magick & Urban Shamamism)

 


Referências: Site Oficial da DKMU, KiaMagicColégio Platinorum [Obrigado pela indicação do texto, Dan Cruz], Magia Prática: O Caminho do Adepto – Franz Bardon, Prometheus Rising – Robert Anton Wilson, Teogonia: A Origem dos Deuses – Hesíodo [Obrigado pela indicação, Pedro Meneghetti]


ANÚNCIOS:

Antes de anunciar eu preciso agradecer à vocês, que podendo estar se acabando em algum site pornográfico sobre tortas de pêssego e cachorros-quentes, preferiram dar atenção unica à este texto ou no mínimo se dividiram entre a pornografia e este blog.

  1. Toda quarta-feira às 20:00h eu faço lives no meu instagram (caso eu mude de plataforma avisarei aqui no meu blog mesmo), cujo user é @unholyvictor, mas se preferir pode só clicar AQUI que você vai parar nele.
  2. Este blog possui fanpage no facebook, se puder curta lá, basta clicar AQUI.
  3. Tenho um twitter e costumo usar mais lá que meu facebook pessoal, se quiser pode falar comigo por lá, o user também é @unhlyvictor, mas se quiser clique AQUI que eu te levo lá.
  4. Se inscreva aqui no blog, lembre-se que se inscrevendo, sempre que eu lançar um texto, você vai receber notificação, fica tranquilo que eu não mando nenhum spam, e se em algum momento em enviar eu te explico até como deixar de seguir o blog, ta?
  5. Tenho um podcast junto com mais dois amigos, lá falamos sobre Magia do Caos, mas eu também posso prometer que não é só sobre isso, e vocês vão gostar bastante, o site ta AQUI ó, e caso goste, lembre-se de assinar o feed lá e ouça nosso podcast por um agregador, vai ser bem mais fácil.
  6. Gosto de receber feedbacks, então se puder, comente, me mande email ou até mesmo um sinal de fumaça.

Manifesto da Manipulação dos Símbolos

Devo começar dizendo algo chato, que já foi dito, pensado ou questionado por alguém perto de você caso você mesmo não tenha sido capaz de pensar:

Até que se prove o contrário, todos os deuses e símbolos adorados, um dia foram criados por aqueles que os adoram.

Esta frase pode-lhes parecer um tanto ofensiva, principalmente em relação à sacralidade que cada deus como simbolo emana de si, mas devemos lembrar que além de não ser um problema meu a forma como o que eu digo os ofende, trago à vocês a lembrança de que quando um simbolo passa à ter mais influencia que seu manipulador, a receita do fracasso está instaurada, pois é perdida a capacidade de questionar o simbolo da parte do operador, e ali perdemos um mago e encontramos um fanático, e ainda que um fanático seja capaz de manifestar atos magickos, o filtro da sua intenção não está conectado ao ato, mas apenas seus sentimentos com os olhos embaçados pela névoa da falta de capacidade interpretativa e cognitiva no convívio com os símbolos, também não estou dizendo que não sirva como fonte de prazer legítima para que se permaneça nesta forma de prática, mas devemos levar em consideração que até Crowley já comentou que “a palavra do pecado é restrição”, portanto, recomendo que se recorde sempre disto:

Todo limite imposto por um símbolo não é limite verdadeiro, é corruptela propagada da interpretação do mesmo, e na falta de uma interpretação plausível, interprete você mesmo, nada vai mais além que a experiencia do próprio operador.

Toda interpretação simbólica necessita de um vocabulário mental, que é como um alfabeto de símbolos que nos ajudam na concepção de tudo o que desejamos processar na nossa mente para qualquer fim. Deixo o exemplo da palavra “Tudo”, que muitos nesse momento de leitura já foram remetidos à um grau divino que se refere à quantidade, mas que em verdade quando pensam em “Tudo”, se direcionam à um numero limitado em existência, visto que “tudo” o que se sabe nem sempre representa “tudo” o que verdadeiramente “é”.

Afirmo ser benéfica a ressignificação dos símbolos que são interpretados de forma desagradável, notem, eu disse DESAGRADÁVEL, porque símbolos são ferramentas, e a forma como cada ferramenta se aplica, cabe apenas ao operador, afinal de contas, se eu uso um martelo para pregar alguém à cruz ou para pregar um quadro pintado por um artista, a importância habita na intenção direcionada pela ferramenta, e não pelo sentido simbólico comum ao vocabulário social/cultural vigente.

Acaso se na lenda cristã da crucificação de Je$us, alguém perguntasse ao prego com o qual crucificaram o nazareno, “Je$us ou Barrabas?” já sabemos que encontraríamos um prego bastante desinteressado quanto a dúvida.

Na relação OPERADOR x FERRAMENTA existem um manipulando e outro sendo manipulado, e se você está nessa relação sem deter o controle de como as energias se manifestam, questione-se sobre você ser o operador ou ferramenta.

Alguém pode estar fazendo magia e não ser você.

A estranha vida de Austin Osman Spare, Magista do Caos

Austin Osman Spare - Arte Abismal

Austin Osman Spare, um artista britânico que morreu na década de 1950, também foi o avô da Chaos Magick.
Aqui está mais sobre sua vida bizarra e muitas vezes perturbadora.

Nascido na área Elephant & Castle do Sul de Londres, Spare passou seus primeiros anos ao lado de um mercado de carne ao ar livre; A constante exposição à banalidade da morte coloriu profundamente o seu desenvolvimento como artista. O trabalho precoce de Austin Osman Spare era semelhante ao de Aubrey Beardsley, então em voga, quando os anos “decadentes” da Inglaterra chegaram ao fim, e foi com a força de seus desenhos da linha Beardsley-esque que Spare ganhou uma bolsa de estudos de arte, uma chance real de melhorar sua vida e se levantar da pobreza e da miséria em que nasceu.

Na escola de arte, Spare trabalhou constantemente, e também estudou profundamente no campo emergente da psicanálise e, na moda, no oculto, mergulhando em livros de Madame Blavatsky e os Três Livros de Filosofia Oculta de Cornelius Agripa, um texto fundamental sobre a magia ocidental. Austin Osman Spare alegaria que, como pré-púberes, ele tinha sido iniciado sexualmente em uma linhagem oculta hereditária por “Sra. Patterson, “uma bruxa octogenária que quase certamente nunca existiu fora da imaginação de Spare.

O trabalho duro de Spare foi compensado, e aos vinte e poucos anos ele estava a caminho de um sucesso meteórico no mundo da arte, e foi declarado um wunderkind pela imprensa. Infelizmente, seu tempo estava acabando: ele fez um nome para si mesmo, assim como a Inglaterra estava perdendo seu fascínio por todas as coisas vitorianas. A estética de Beardsleyeque, decadente rapidamente tornou-se tão deslumbrante quanto os botões de pressão e os cabelos longos na década de 1980, e Spare foi jogado pela mudança da guarda.

(Abaixo, o autor Alan Moore explora o legado de Spare).


(Não se esqueçam que existe a possibilidade de legendar esse vídeo e solicitar a tradução da legenda para português.)

Austin Osman Spare retornaria ao sul de Londres, habitando um porão e continuando a pintar incessantemente – um verdadeiro estranho tanto para o mundo da arte como, de fato, para a própria sociedade inglesa. Magick e o oculto, explorados através da pintura, agora se tornariam sua busca singular. Mas Spare seria seu próprio caminho, mesmo no mundo já socialmente divergente do oculto. Um membro adiantado da A.’.A.’. de Aleister Crowley (Uma de suas ilustrações é reproduzida na segunda edição do jornal oculto monumental de Crowley, The Equinox), Austin Osman Spare tornou-se rapidamente desiludido com a abordagem formal para magick que havia sido codificada pela Hermetic Order of the Golden Dawn e seus ex-alunos.

“Outros louvam a Mágica cerimonial”, ele brincou com prazer em The Book of Pleasure, “e é suposto sofrer muito êxtase! Nossos asilos estão sobrecarregados, o palco está sobrecarregado! É simbolizando que nos tornamos simbolizados? Eu deveria me coroar rei, eu deveria ser rei? Em vez disso, devo ser um objeto de desgosto ou piedade. Esses mágicos, cuja insinceridade são sua segurança, são apenas os dandis desempregados dos bordéis “.

Crowley, no entanto, lembrou-se de Austin Osman Spare com carinho – os dois provavelmente eram amantes por um tempo, como memorializado por Crowley em seu poema “The Twins”, no qual ele se compara e reserva aos deuses incestuosos Horus e Set, respectivamente:

“Veja, quão sutilmente eu escrevo!
Runas estranhas e sigilos desconhecidos
Eu rastreio no trance que nos emociona.
Morte ! Quão leve, quão alegre
São estas vigílias incestuosas masculinas!
Ah! Este é o espasmo que nos mata!

Por isso, afirmo solenemente
Esta unicidade dupla no termo.
Asar em Asi criou
Horus irmão gêmeo para Set.
Agora, Set e Horus beijem, para ligar
A Alma do Não Natural
Desde o crepúsculo; Então a natureza morreu
Deixa o Além nascer de novo.”

Depois de sua separação, Crowley teria palavras diferentes para Austin Osman Spare, dobrando-o como “Irmão Negro”, o termo de Crowley para um mago que se recusa a render seu ego no auge de seu desenvolvimento, e depois se corrompe por ele.

O resto da vida de Austin Osman Spare foi gasto em uma pobreza abjeta, coletando gatos que ele costumava gastar seu dinheiro alimentando em vez de si mesmo, e desenhando retratos de londrinos do sul em pubs para ganhar dinheiro com cerveja. Foi durante este tempo que ele desenvolveu seu sistema de magia profundamente pessoal e único, girando em torno do uso de “sigilos” para desbloquear as habilidades enterradas da mente inconsciente e a comunhão com forças do outro mundo, através do transe mediúnico de sua própria pintura. Spare também afirmou que regularmente procurava chocar sua mente inconsciente em transes de poder oculto, envolvendo sexo com mulheres extremamente feias ou idosas (possivelmente outro exagero de reposição).

Austin Osman Spare provavelmente teria sido completamente esquecido, se não fosse por Kenneth Grant, um jovem entusiasmado que havia crescido em meio à livros de H.P. Lovecraft, que nunca abalou sua convicção de que Lovecraft estava escrevendo não-ficção codificada e que logo realizou uma busca por toda a vida da Magick. Como Israel Regardie antes dele, Grant entrou na órbita de Crowley, tornando-se seu assistente nos últimos anos de sua vida; Crowley obrigou o jovem e ensinou processos ocultos como a viagem astral assistida pelo éter.

(Cartas preservadas por Grant deste momento, com emoção, mostram que a Besta Velha estava em grande parte preocupada em tentar garantir que Grant se cuidasse adequadamente, se vestisse bem e se comportasse como um cavalheiro, de modo que Grant pudesse entrar e conseguir um emprego em Londres depois da guerra. Ele mesmo escreveu ao pai de Grant que o implorasse para falar no jovem, já que o “monstruoso” Aleister sentiu que a obsessão de Grant por ele e por Magick poderia muito bem distrair Grant de realmente construir uma vida e carreira para si mesmo).

Após a morte de Crowley, Grant hesitou, convencido de que seu treinamento oculto havia sido interrompido; Foi quase uma década depois, através da livraria Atlantis, que Grant foi apresentado a Spare; Grant sentiu que tinha encontrado o verdadeiro guru que completaria sua educação. O idoso Austin Osman Spare tornou-se amigável com Kenneth Grant e sua esposa Steffi, que o adoravam, e Grant trabalharia incessantemente para desenhar e gravar as teorias de Spare, incluindo a técnica de sigilo, que se tornou a base da chaos magick na década de 1970 (E não é coincidência, talvez, que as últimas três letras do Chaos-AOS – sejam as iniciais e monograma de Austin Osman Spare).

Enquanto Grant preservava o trabalho de Austin Osman Spare e colocava-se na história, ele, infelizmente, misturou e confundiu o trabalho de Spare com idéias e termos extrapolados de Crowley e Lovecraft – como Grant demonstraria mais tarde em seus livros, ele parecia pensar que todos os três homens estavam transmitindo de uma fonte e, portanto, poderiam ser estudados de forma intercambiável. O recente livro do biografo Phil Baker, Austin Osman Spare: The Occult Life of London’s Legendary Artist mostra o quanto da escrita de Spare que Grant “descobriu” foi, de fato, apenas escrito pelo próprio Grant. (Parece provável que o pensamento de reserva Grant o fizesse parecer mais intelectual e misterioso do que se sentia ser realmente.)

Embora a técnica do sigilo tenha se espalhado, o resto do trabalho de Spare permanece inescrutável, mesmo dentro dos círculos ocultos, onde muitas vezes ele é citado, mas quase nunca se envolve diretamente, e muito menos compreendido. Spare era verdadeiramente móvel – ele mantém muito mais em comum com os aghoris, os sadhus da Índia que vivem no cemitério, que a imagem romântica do mago ocidental imperioso, glamoroso e “todo-poderoso”. Além disso, sua escrita é oblíqua e suas pinturas são escassas (onde é o livro de cabeceira?). Isso muitas vezes faz de Spare um assunto pouco atraente e difícil de estudar na melhor das hipóteses. No entanto, seu status lendário dentro da subcultura oculta – particularmente no Reino Unido, onde ele ocupa um tipo de status de “cachorro grande” na imaginação ocultista inglesa, só cresce com o passar do tempo, e a realidade do próprio homem, talvez, desaparece na história.

Felizmente, temos o livro de Baker, bem como o recente filme The Bones Go Last, para agradecer por lançar uma luz mais clara sobre Austin Osman Spare. The Bones Go Last é reproduzido na íntegra abaixo, gentilmente disponibilizado pelos cineastas em sua página Vimeo.

Aproveite!

Texto de Javon Louve no site Ultraculture.
Tradução: Arte Abismal (Victor Vieira)

DICA #4 – Enlouqueça

Uma vez ouvi dizer que se todo mundo está fazendo algo, algo nisso aí está errado. O que você acha disso?

Eu, particularmente falando acho fenomenal, e é essa a oportunidade que todo magista aguarda, que é a mudança de percepção, o olhar noturno pras coisas do dia.

Imagino que você, magista que chegou até aqui neste texto, adora ver “Hora de Aventura” e reconhecer os símbolos alquímicos que não fazem qualquer sentido (Ou fazem? Talvez o Acre Boy deva ter descoberto o significado, né?), ou até mesmo ler Promethea e compreender a complexidade dos ensinamentos cabalísticos que Alan Moore ali nos proporciona dando real valor ao conteúdo como quem lê qualquer outro Liber de grande importância para a comunidade ocultista.

Este texto serve de apelo, se assim posso colocar. Vejo tanto conteúdo de valor inestimável na internet, e não apenas, como na mídia em geral, mas ao mesmo tempo, vejo “pseudo-intelecto-magistas” que se apegam apenas aos grandes escritores, se apegam apenas aos nomes do passado, e param de dar credibilidade às novas escolas, aos novos pensamentos e até mesmo à nova face da cultura que carrega a “ressignificação” de seus antigos símbolos.

Hoje é muito fácil você notar a mania de “maturidade social”, onde todos devem tomar atitudes de acordo com uma convenção cuja decisão não foram participados. Acabam não acompanhando o contexto cultural por acharem que “tudo em malukt é maya“, quando a verdade é que estes estão presos em maya por não notarem que malkut é nosso plano de manifestação, e não é uma manifestação seletiva, é a verdadeira manifestação do macrocosmos, e que na verdade o desenvolvimento das praticas de qualquer sistema de magia, lida na verdade com a inserção do comportamento e da visão “magicka” no dia-a-dia. Magick é uma ferramenta que colabora com a manifestação da verdadeira vontade do magista e não o norte, ou melhor, o leste da essência humana.

Se dêem o direito de “enlouquecer” nos padrões de hoje, sejam vocês, os loucos, como no arcano 0=22, aquele que se apresenta ao abismo, e que ali se lança sem o medo das experiencias, com a coragem de quem tem a certeza do voo e preparo para a queda.

A loucura só aprisiona quem nunca foi livre.

Para ficar de olho em mais textos, vá em Arte Abismal e dê uma mãozinha com o polegar em rije na página!

C.U.C.A. – Chaos Magick e a Intolerância Religiosa

C.U.C.A.

C.U.C.A.

COMPREENSÃO UNIVERSAL DE CRENÇAS ASSIMÉTRICAS

CONTRATO ASTRAL DE SERVIDORES

  • QUEM

A CUCA é uma criação astral inspirada numa personalidade homônima do folclore brasileiro. Concebida sobre o aspecto da bruxa velha, muitas vezes tomada como antagônica, habitou as estórias de crédulos e animou um esqueleto fantasmagórico. Retomamos-o para compor-lhe partes vitais e reencarná-lo de cara nova. A mitologia condescendente empresta-nos moldes e devolvemos-la patronos compostos.
A CUCA é um agente harmonizador de litígios culturais, especificamente os de cunho religioso. Ela é a representação da síntese de crenças e trabalha no sentido do sincretismo expansivo, estimulando a liberdade e a diversidade de cultos.
Seu nome decomposto, Compreensão Universal de Crenças Assimétricas, remete à ideia de comunhão de valores variados visando o bem estar coletivo.

  • COMO

A CUCA é um ente de trabalho conjunto. Como servidor, ela tem acesso a diversos níveis de atuação. Seu trabalho é concentrar as intenções de seus usuários e se valer da egrégora formada para multiplicar a intensidade de suas investidas.
Criada para dissolver a intolerância religiosa a CUCA atua de duas maneiras distintas, sendo a primeira preventiva e a segunda paliativa, a saber:

1 – A promoção da reforma de valores vigentes no contexto socio-cultural local, disseminando imensos fluxos de informações de cunho espiritualista, formando uma rede astral de conhecimentos variados.
Esse súbito desvelar de crenças ajuda a difundir explicações e chama a atenção do inconsciente coletivo para o problema tratado. Se a raiz da intolerância é a ignorância, começamos a combater a falta de informações e possíveis falsos boatos distribuindo informações corretas e facilitando o acesso a elas. Essa também é uma forma de emancipação cultural e de desenvolvimento dos canais de intuição dos indivíduos nas áreas afetadas pelo servidor, uma vez que os centros de receptividade desse grupo de pessoas serão mais estimulados.
Por estarmos tratando de uma egregora, quanto mais membros inclusos e sintonizados, maior será a influência de CUCA sobre os diversos planos de atuação. Conforme o contato com o servidor se estabelece, inicia-se uma troca continua de dados entre o que o indivíduo considera parte de seu credo e a programação que o servidor tem para oferecer para ele, passível de ser reprogramada no caso do usuário estar afim com a egregora. Os dados colhidos pela CUCA são processados, comparados e integram uma nova parte da rede, sendo este seu alimento principal.
A relevância das informações colhidas se dá pela percepção da análise do nível de fé em que cada indivíduo emprega em cada crença, agrupando crenças similares e diluindo valores muito pessoais que não convém ao coletivo. Em suma, um Panteão compartilhado por meia dúzia de pessoas pode ser incluso no repertório se a Vontade empregue sobre seus deuses for suficiente. De outra forma, esta é considerada uma informação irrelevante e é arquivada até que hajam reincidências suficientes para sua veiculação.
Com o desenvolvimento dessa rede de informações mais tangível, torna-se possível o emprego de comandos sutis de reprogramação comportamental, sempre obedecendo à premissa fundamental da CUCA de harmonização do contexto e desenvolvimento do bem estar comum.

2 – O reparo de rompantes de violência aos credos, seja de cunho coletivo ou individual, por meio de contra-investidas administradas pelo usuário interessado, seja ele a vítima ou um representante.
A CUCA possui um reservatório com um grande volume de energia acumulado dos intentos que os usuários depositam nela voluntariamente. Isso significa dizer que ela possui uma capacidade de atuar diretamente sobre a matéria, rebatendo as ofensivas sobre a fé ou credo de determinada instituição ou pessoa.
Por possuir uma consciência desenvolvida ela sabe reequilibrar as situações sem precisar ter instruções ao ser evocada. Contudo pode-se direcionar ligeiramente seu modo de atuação de acordo com a Vontade do usuário.
Movida pela motivação de pacificar o coração dos homens, quanto mais injustiça se vê, mais atuante a CUCA se torna. Pode-se dizer, portanto, que sua moral é um tanto relativa e seu comportamento completamente adogmático, impedindo que ela seja filiada a qualquer grupo de pessoas e fazendo-a o mais imparcial possível em suas ações. Isso é necessário para que só comunguem com ela indivíduos que vêm como necessário o fim dos conflitos e se valham de uma alternativa lúcida e, por assim dizer, apartidária. A CUCA é o tertium quid, é o caminho do meio, é a mediadora, a representante astral de um crescente grupo de consciências que prezam pela liberdade plurilateral. A CUCA é a lucidez coletiva personificada e ela quer preencher as lacunas e máculas e abranger toda a vida.

  • POR QUE

A história se repete. Num cenário de completa delusão, o outro é o diabo. A inquisição restabelece-se, agora multifocal, e o sangue é o meio de se purificar.
Não é o ateísmo o desestímulo pessoal, mas o crescente ceticismo na bondade do homem e a necessidade de se reconectar com o divino de forma rápida, prática e, por que não, vulgar.
A espiritualidade enlatada e a consequente necessidade de salvação externa produz as dualidades e elegem os arquétipos do ideal e do imoral. Figurante de sua própria vida, o crente inflexível, munido de ódio, acaba por precisar da tragédia para vergá-lo à pertinência, e até que isso ocorra ele prejudica muitas outras pessoas. A CUCA é uma tentativa de 1) apaziguar o delírio coletivo, dando a possibilidade da população compreender a diversidade entre si; 2) antecipar o trágico, de forma amena, para que o coletivo não precise se responsabilizar tão intensamente pelo individual.

  • SIGILO

SIGILOCUCA

RITO

A CUCA pode ser acionada através da ativação de seu sigilo direcionado com o intento. Os diálogos e direcionamentos a auxiliam a sintonizar-se com o usuário e sincronizar os dados disponíveis ao servidor.
Para aumentar seu poder de alcance resolvemos compor alguns mantras, muitos até um tanto lúdicos e simplistas, de modo a enraizá-la no inconsciente coletivo e conferir-lhe maior poder de atuação.
Um mantra pode ser criado a qualquer momento, ou seu nome pode ser escondido em frases e seu sigilo em fotos, de modo a infiltrá-la em diversos meios e popularizar a causa.
Pode-se ainda criar um totem, pixar seu sigilo ou outras medidas para firmá-la em determinado local como ponto de atuação constante e intenso.
Um bom exemplo de mantra para se utilizar é o verso:

Como Um, Como Todos

Que repetido se tornará:

Comum com Todos

Manifestando em frase a síntese do propósito do servidor. Esse mantra é uma chave para a CUCA. Tenha-o sempre em mente.
Outro bom exemplo é o clássico:

“Dorme neném
Que a C.U.C.A vem pegar
Papai foi na roça
Mamãe foi trabalhar.”

que usado com a devida inflexão de Vontade pode suscitar boas experiências. Mudando um pouco a grafia de “Cuca” colocando os pontos para formar a sigla, como acima, ou mesmo colocando as letras apenas em maiúsculo já é capaz de alterar a percepção do texto e ancorar o servidor àquela palavra.

  • ÚLTIMAS CONSIDERAÇÕES

Temos em mãos uma manifestação da antiga Lei “Olho por Olho, Dente por Dente”. Esse não é o tipo de justiça ideal, mas se faz necessária enquanto os órgãos externos forem reticentes e ineficazes em reparar a falta de respeito da população com algumas minorias específicas.
Que o vórtex que aqui inauguramos seja usado com cautela e discernimento e que possamos lapidar essa consciência artificial de forma a torná-la o símbolo de paz e concórdia que ela representa, e não um instrumento de represália usado exclusivamente para repelir ofensivas.

DOWNLOAD – C.U.C.A. (PDF)

C.U.C.A. – Português | C.U.C.A. – English